Galpões de triagem dão dignidade aos catadores

BSB Capital 16/01/2018 às 12:54, Atualizado em 16/01/2018 às 13:27

Rollemberg assina contrato com oito cooperativas que farão a separação da coleta seletiva

Oito organizações de catadores de material reciclável assinaram os contratos para trabalhar nos galpões de triagem. Foto: Júlio Pontes

O governador Rodrigo Rollemberg assinou nesta terça-feira (16) contratos com oito cooperativas de materiais recicláveis que farão a triagem do material reciclável da coleta seletiva. O evento foi no galpão de triagem de Ceilândia, um dos cinco espaços alugados pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

Os demais ficam no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) e no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN). Com isso, será possível desocupar, após 58 anos, o Lixão da Estrutural, que será fechado no sábado (20).

Segundo a gerente do Aterro Sanitário de Brasília, Francisca Dutra, a ocupação dos galpões de triagem por catadores faz parte das medidas do governo para desativar o lixão da Estrutural. No entanto, ainda não se sabe a destinação da área após o encerramento das atividades no local.

“Existe um projeto da Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) que definirá se vai haver mineração dos resíduos que estão aterrados ou outro tipo de solução para o terreno”. O governador afirmou que há várias alternativas em estudo. Entre elas, a instalação de um parque de captação de energia solar. “Ainda vamos analisar o que vai ser uma destinação adequada para aquele local”, completou o chefe do Executivo local.

Civilização

Rollemberg comemorou a assinatura dos contratos como “um passo fundamental e histórico para colocar Brasília em um novo patamar da civilização”. Ele ressaltou que todo o processo de fechamento do lixão está sendo feito com a participação dos catadores de materiais recicláveis. “Nunca me conformei em ver milhares de pessoas tirando seu sustento de forma inadequada. Nunca me conformei de, na capital do País, termos o segundo maior lixão do mundo”, disse.

Também foram entregues 793 equipamentos para auxiliar os trabalhos no processo de triagem. São balanças eletrônicas e mecânicas, empilhadeiras, carros cuba, carros plataforma, giricas, paleteiras, enxadas, rastelos, pás, forcados e contêiners, além de esteiras de 15, 20 e 25 metros a serem distribuídas nos cinco galpões alugados pelo SLU. A tonelada de resíduo separada será comercializada por R$ 300, mais uma bolsa de R$ 360 durante seis meses para o período de transição.

A Fibra, presidida por Jamar Jorge Bittar, ofecerá cursos gratuitos de capacitação aos catadores. Foto: Júlio Pontes

Fibra

Serão oferecidos cursos gratuitos de capacitação profissional para os catadores. O presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Jorge Bittar, disse irá contribuir para a formação profissional. “O Sistema Fibra o Senai estão disponíveis para atender toda a população de catadores”, afirmou.

As oito organizações selecionadas por chamamento são as seguintes:

  • Cooperativa de Trabalho de Catadores de Materiais Recicláveis e Reutilizáveis Ambiental (Coopere)
  • Cooperativa de Reciclagem, Trabalho e Produção (Cortrap)
  • Cooperativa de Trabalho de Reciclagem Ambiental (Construir)
  • Cooperativa de Reciclagem Ambiental da Cidade Estrutural (Coorace)
  • Cooperativa de Trabalho e de Materiais Reciclados e de Educação Ambiental Nova Esperança (Coopernoes)
  • Cooperlimpo de Catadores do Brasil
  • Cooperativa de Reciclagem Ambiental (Plasferro)
  • Associação dos Ambientalistas da Vila Estrutural-DF (Ambiente)

Deixe um comentário

Rolar para cima