Galeria dos Estados: riscos eram conhecidos

bsbcapitalPor ,28/02/2018 às 13:15, Atualizado em 28/02/2018 às 13:17

Relatórios mostram que os problemas eram conhecido há, pelo menos, sete anos. Convênio foi assinado, em 2011, para recuperação do viaduto que desabou

Galeria dos Estados: não houve vítimas do desabamento dia 6 de fevereiro. Foto: Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal sabia há pelo menos sete anos dos problemas na estrutura do viaduto da Galeria das Estados, que desabou em 6 de fevereiro. Em 2011, um convênio foi assinado para passar recursos da Terracap para a Novacap com o objetivo de elaborar um projeto de execução e recuperação de pontes e viadutos – entre eles, os viadutos da Galeria dos Estados. O convênio – no valor de R$ 4,1 milhões – chegou a ser publicado no Diário Oficial do DF em 22 de dezembro de 2011, mas o dinheiro jamais chegou ao viaduto.

Em 2011, Terracap assinou convênio para obras no viaduto da Galeria dos Estados (Foto: Reprodução)Em 2011, Terracap assinou convênio para obras no viaduto da Galeria dos Estados (Foto: Reprodução)

Em 2011, Terracap assinou convênio para obras no viaduto da Galeria dos Estados (Foto: Reprodução)

Aviso dos Correios

Em março de 2013, os Correios enviaram ofício para o então diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), Fauzi Nacufr Júnior, no qual a diretoria regional do órgão registrava deformidades estruturais nos imóveis da Galeria dos Estados. Por essa razão, uma unidade dos Correios chegou a ser transferida para outro endereço.

O ofício informava que um laudo técnico da Gerência de Engenharia havia identificado trincas na quina dos pilares e infiltrações na cobertura.

 

A Novacap respondeu quase um mês depois, em abril de 2013, quando informou que havia contratado uma empresa de consultoria especializada para avaliação da estrutura e elaboração de projeto executivo do viaduto.

 O documento afirmava que o contrato com a empresa Soares Barros Engenharia tinha sido assinado em fevereiro de 2013 com a previsão de 120 dias de execução. O contrato era de R$ 694 mil, mas, novamente, o viaduto não recebeu nenhum aporte.

Relatório de 2013 já alertava para o risco de desabamento no viaduto do Eixão (Foto: Reprodução)Relatório de 2013 já alertava para o risco de desabamento no viaduto do Eixão (Foto: Reprodução)

Relatório de 2013 já alertava para o risco de desabamento no viaduto do Eixão (Foto: Reprodução)

Alerta mais recente

Um novo alerta foi feito pelo departamento técnico da Novacap em 2017. A conclusão era que as condições estruturais dos viaduatos da Galeria dos Estados exigiam obras imediatas de reforço e readequação desde 2014, com nível de prioridade nas ações do governo. O documento termina dizendo que a não efetivação das intervenções poderia “ocasionar eventos de consequências irreparáveis”.

A Novacap e a Administração de Brasília receberam uma solicitação de análise do relatório em maio de 2017, nove meses antes do desabamento.

O viaduto sobre a Galeria dos Estados desabou em 6 de fevereiro. A área continua isolada desde então. O bloco que caiu foi retirado no último domingo (25), mas o governo ainda analisa o que fará com o restante da estrutura, que ficou comprometida.

Relatório da Novacap em 2017 sobre contratação de empresa para reforma do viaduto (Foto: Reprodução)Relatório da Novacap em 2017 sobre contratação de empresa para reforma do viaduto (Foto: Reprodução)

Relatório da Novacap em 2017 sobre contratação de empresa para reforma do viaduto (Foto: Reprodução)

 

Fonte: G1

Deixe um comentário

Rolar para cima