Funcionário do STF é preso por chefiar quadrilha de tráfico de drogas no DF

bsbcapitalPor ,25/01/2016 às 11:36, Atualizado em 09/07/2016 às 3:40

Quatro pessoas, entre elas um funcionário do Supremo Tribunal Federal, que é apontado como líder da quadrilha, foram presas acusadas de participar de um esquema de aquisição de drogas em Goiânia. Segundo investigação da Operação Têmis, da Coordenação de Repressão às Drogas da Polícia Civil (Cord), o grupo transportava os entorpecentes para o Distrito Federal. …

Funcionário do STF é preso por chefiar quadrilha de tráfico de drogas no DF Leia mais »

20160125100127132654i (1)
Quatro pessoas, entre elas um funcionário do Supremo Tribunal Federal, que é apontado como líder da quadrilha, foram presas acusadas de participar de um esquema de aquisição de drogas em Goiânia. Segundo investigação da Operação Têmis, da Coordenação de Repressão às Drogas da Polícia Civil (Cord), o grupo transportava os entorpecentes para o Distrito Federal.

Com eles, foram apreendidos 16 tijolos de maconha. A abordagem aconteceu na BR-040, próximo ao Gama, após um dos suspeitos ir buscar uma “mula” na rodoviária de Brasília, que tinha acabado de chegar de Goiânia.

Apesar de trabalhar no STF, o suspeito não é servidor do órgão. Vinícius Correa Dias, conhecido como “Vila”, tem 30 anos e vivia processo de ressocialização. Em prisão domiciliar, recebia R$ 1800 para trabalhar como mensageiro. Ele e os supostos comparsas eram investigados pela polícia há 11 meses.

Além de Vinícius, foram presos Diego Rodrigues Vitalino, 27, responsável por buscar a droga em Goiânia e voltar com a carga no ônibus; Bruno Martins Maia, 31, que buscou Diego na Rodoviária Interestadual; e Edvaldo Pereira da Silva, 26. A polícia prendeu o quarteto na última sexta-feira (22/1), quando Diego chegou com a droga. A polícia os seguiu até a casa de Vinícius, em Valparaíso (GO).


Onde estão as ciclovias do Distrito Federal?


Seguro de carro no DF teve o maior aumento do país


População promete boicotar postos de gasolina em protesto contra os altos preços


 

Deixe um comentário

Rolar para cima