Fiscalização combate falta de ônibus durante a madrugada

bsbcapitalPor ,15/05/2015 às 9:30, Atualizado em 15/05/2015 às 9:30

Fiscais da Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle fazem operações diárias nas Rodoviárias do Plano Piloto e de Taguatinga para garantir a regularidade do transporte público urbano de Brasília durante a madrugada, o conhecido Corujão. Desde janeiro, foram expedidos 113 autos de infração. “Temos equipe nesses terminais rodoviários para verificar se as viagens estão ocorrendo …

Fiscalização combate falta de ônibus durante a madrugada Leia mais »

17467897698_9876d2b454_zFiscais da Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle fazem operações diárias nas Rodoviárias do Plano Piloto e de Taguatinga para garantir a regularidade do transporte público urbano de Brasília durante a madrugada, o conhecido Corujão. Desde janeiro, foram expedidos 113 autos de infração.

“Temos equipe nesses terminais rodoviários para verificar se as viagens estão ocorrendo conforme o previsto”, explica o coordenador operacional da subsecretaria, Felipe Leal. Além disso, são avaliadas as condições dos veículos e a existência das duplas de motorista e cobrador nas 15 linhas que trafegam entre meia-noite e 6 horas.
Na madrugada desta quinta-feira (14), durante auditoria da fiscalização, nenhuma violação foi constatada. De acordo com Leal, a subsecretaria — ligada à Secretaria de Mobilidade — tem feito reuniões constantes com as empresas de ônibus que apresentam infrações.

O furo de viagem, como os fiscais denominam a ausência de ônibus em determinado horário, obteve 102 registros desde o início do ano e lidera o índice de ocorrências. A multa para essa autuação é de R$ 540 por linha na primeira constatação, e R$ 1.080 para a reincidência.

Trabalhadores noturnos
As auditorias nas 15 linhas do Corujão se intensificaram desde 5 de maio, quando a Pioneira apresentou problemas nas operações. A linha com mais autos lavrados foi a 0.224, operada pela empresa e que liga a Rodoviária do Plano Piloto ao Gama e à Santa Maria, com 53 irregularidades — como comprometer a continuidade e cometer furo de viagem.

Há quatro meses pegando o Corujão, a auxiliar de serviços gerais Lucilene Carvalho, de 36 anos, moradora do Paranoá, percebeu melhoria na qualidade do transporte: “Já faz um bom tempo que não falta ônibus de madrugada, mas o principal é o fato de eles passarem sempre na hora marcada”.

Para o motorista José Valber, 41, a segurança é fundamental. Ele acredita que os fiscais precisam ficar de olho na situação dos veículos. “Vi alguns carros em condições ruins e fico com medo de pegar algum que pode quebrar ou se envolver em acidentes”, admite o morador de Samambaia.

O transporte público durante a madrugada é regulamentado pela Lei nº 877, de 28 de junho de 1995, criada pelo então deputado Rodrigo Rollemberg.

A Secretaria de Mobilidade orienta a população a reclamar na ouvidoria, no telefone 162. É importante anotar o número do ônibus, o dia e o horário em que o problema aconteceu.

17033234314_eea805077b_z

Leia Mais:


 Plano de manejo de proteção ambiental da Chapada é debatido na Câmara


Parque de Águas Claras será fechado para carros


Contra os altos impostos, posto em Brasília vai vender gasolina a R$ 2,23


 

Deixe um comentário

Rolar para cima