Eu parti, o amor quer ficar

bsbcapitalPor ,14/06/2015 às 19:30, Atualizado em 14/06/2015 às 19:30

E por falar de amor, sem dor Partimos. Não sem antes atropelarmos os nossos passos. Não sem antes queimar no chão quente o nosso coração descalço. Partimos como quem não sabe aonde ir, como quem caminha só, mas enxerga o outro a cada passo que consegue dar. Partimos não por sentirmos dor, mas por haver …

Eu parti, o amor quer ficar Leia mais »

E por falar de amor, sem dor

Partimos. Não sem antes atropelarmos os nossos passos. Não sem antes queimar no chão quente o nosso coração descalço. Partimos como quem não sabe aonde ir, como quem caminha só, mas enxerga o outro a cada passo que consegue dar.

Partimos não por sentirmos dor, mas por haver ainda muito amor, por saber que se não partisse ficaria até quando preciso fosse. Partimos por temer não saber a hora de parar, para saber até onde conseguimos chegar. Parti para te carregar ainda dentro de mim. Parti por saber que ir embora, às vezes, é a melhor forma de não ter que abandonar.

Parti. Dei refúgio ao meu coração. Sai de perto para não ficar em suas mãos, para ter seu toque na lembrança, para não ter que te esquecer enquanto ainda fosse seu par. Tirei você do meu campo de visão, mas não desembaralhei meu coração. Deixei de te ver, não deixei de te amar.

Fui embora como quem não tranca a porta. Saí com a esperança de ainda te ver chegar. Parti deixando pistas, deixando a rota à sua vista. Fui com a questão de quem quer se despedir, para dar o aviso caso você quisesse me fazer parar. Fui como quem já olha a faixa de retorno. Parti com um meio adeus, sabendo que deveria ir, mas que ficaria, se você convidasse para ficar.

Eu sei, há um momento em que a gente dobra a esquina, se rende à distância da vida, se embola em outros meios, perdoa o que não foi e segue em frente depois de uma nova troca de olhar. Mas a gente parte antes do amor. Temos que ir embora, antes dele entender que não há mais um porquê de estar.

Amor não segue nossos passos, ignora os percalços, perdoa os contratempos, insiste em querer curar. Finge que não doeu, mesmo quando dói. Estanca o que sangrou. Sorri como se não houvesse motivos para chorar. Amor revira nossa sanidade, nos preenche de novas coragens, releva tudo que nos divorcia e se dispõe a reconciliar. Amor nunca nos impede de ir, mas não se obriga a nos acompanhar.

Eu sei que uma hora dessas que a vida não avisa eu vou me render ao nosso novo destino. Não agora. Agora eu estou seguindo meu caminho, mas ao meu lado ainda guardei o teu lugar comigo. Parti sem interromper meus passos, mas meu coração segue um fluxo diferente. Eu olho para frente. Ele olha para trás, na esperança de te ver nos alcançar.

 

Leia Mais:

Estou aqui, amor

Eu liguei, não foi engano

Ainda não, mas há

Deixe um comentário

Rolar para cima