Eu liguei, não foi engano

bsbcapitalPor ,24/05/2015 às 16:54, Atualizado em 24/05/2015 às 16:54

Se eu te liguei às seis da manhã, foi porque não dava mais para esperar. Se eu te liguei, é porque a urgência era maior do que qualquer outra preocupação. É porque a sensação é de que, se a gente não colocar freios agora, tudo vai derrapar. Talvez nos falte isso, talvez nos falte freios …

Eu liguei, não foi engano Leia mais »

Se eu te liguei às seis da manhã, foi porque não dava mais para esperar. Se eu te liguei, é porque a urgência era maior do que qualquer outra preocupação. É porque a sensação é de que, se a gente não colocar freios agora, tudo vai derrapar. Talvez nos falte isso, talvez nos falte freios para as coisas que não sabemos fazer.

Se a gente se chateou, bastava aquela primeira ligação. Bastava dizer o que ocorreu. Bastava até uma cara amarrada por uns minutos. Bastava não sufocar o que nos incomodou, desde que houvesse justiça em proporcionar o espaço para que pudéssemos sair em defesa de nós.

A gente deve saber a hora de frear, pois seguir, às vezes, faz a gente bater de frente com o que nos machuca. Depois que a gente bate, perde o controle da situação. Quando eu acordei hoje de manhã e vi que você não estava mais aqui, eu não entrei em desespero, eu não fiquei chateado, eu não fiquei triste. Eu tive aversão da situação. Fiquei avesso ao ver que o quão frágil é o nosso sentimento desprotegido.  Ao ver o caminho que as coisas tomam quando desandam da nossa verdadeira emoção.

Se você quer ficar com alguém, você tem que entender que a gente tem que atravessar as controvérsias, pois o relacionamento é composição. Não adianta trancar as portas contra o descompasso, não adianta ignorar o descontrole da situação. Amar é encaixar os pedaços, recompor os laços, é reconhecer que ter alguém é acolhê-lo, ainda que ele nem sempre esteja ao alcance das nossas mãos.

Eu te liguei, amor, porque eu não podia mais esperar. Porque eu não queria correr o risco de ver você se perder. Para que o orgulho não fosse maior que nossa vontade, para que a ignorância não nos condenasse a ser diferentes do melhor que podemos nos oferecer.  Eu te liguei, porque devemos saber que amor é saber a hora de frear, para que a gente não se afaste do que nos faz bem. Para que a impulsividade não nos torne incoerentes ao nosso sentimento.

Eu te liguei, para que não nos falte freios, porque amar é saber a hora de parar para se reencontrar. Porque o amor é também partir, mas com a certeza de que nenhum lugar do mundo é longe de você.

Leia Mais:

Eu liguei, não foi engano

Ainda não, mas há

Que Seja Infinito?

 

Deixe um comentário

Rolar para cima