Estudo confirma ascensão social da população

bsbcapitalPor ,18/10/2013 às 12:12, Atualizado em 18/10/2013 às 12:12

A Codeplan divulgou na quinta-feira (17) a série “Indicadores Sociais 2013”, com base na Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD/2013), que tem como objetivo apresentar um retrato social das regiões administrativas, identificar aspectos a serem melhorados e acompanhar a evolução dos indicadores entre 2012 e este ano, a começar por Samambaia. A PDAD 2013 …

Estudo confirma ascensão social da população Leia mais »

A Codeplan divulgou na quinta-feira (17) a série “Indicadores Sociais 2013”, com base na Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD/2013), que tem como objetivo apresentar um retrato social das regiões administrativas, identificar aspectos a serem melhorados e acompanhar a evolução dos indicadores entre 2012 e este ano, a começar por Samambaia.
A PDAD 2013 ainda não foi concluída para todo o DF, mas Samambaia confirma a ascensão social da população, apresentando um declínio de 15.143 (26,4%), em 2011, para 10.680 (17,3%), em 2013, no número de domicílios de baixa renda. Em termos de número de pessoas, caiu de 57.936 (30,4%) para 46.686 (21,1%) pessoas de baixa renda.
O percentual de domicílios abaixo da linha da pobreza (renda mensal per capita entre R$ 70 e R$ 140), em 20122, era de 6,8%, onde residiam 8,4% da população de Samambaia. Em 2013, os mesmo índices apresentaram queda de 2,1% e 3,0%, respectivamente.
O número de domicílios abaixo da linha da extrema pobreza (renda mensal per capita inferior a R$ 70) caiu de 2,0%, em 2011, para 0,6%, em 2013, onde residem 1.082 pessoas (0,5% da população da região).
A melhoria na renda das famílias acompanhou o avanço na proteção social e na escolaridade da população: o percentual de pessoas com ensino fundamental completo passou de 21,3%, em 2011, para 23,7%, em 2013, com médio completo de 34,6% para 36,9% e com superior completo de 5,3%, em 2011, para 7,3%, em 2013, ressaltando a educação no aumento da renda e na redução da desigualdade em Samambaia e no DF.

Deixe um comentário

Rolar para cima