Especialista aposta em análise de dados das redes para convencer eleitores em 2022

juliocpontesPor ,12/12/2021 às 6:05, Atualizado em 15/12/2021 às 15:46

Rodrigo Gadelha, vencedor do prêmio ABComm de Inovação Digital 2021, afirma que a pandemia acelerou a transição das campanhas para a internet e que eleitor conectado está mais exigente

rodrigo gadelha
Rodrigo Gadelha é especialista em marketing político digital. Foto: Reprodução

Com uma trajetória de sucesso em publicidade e no marketing político digital, o empresário e publicitário Rodrigo Gadelha acaba de receber mais um reconhecimento por seu trabalho. Na terça-feira (7), a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico o condecorou com o Prêmio ABComm de Inovação Digital 2021, homenagem concedida aos melhores profissionais do mundo digital do Brasil em diversas categorias. Foram computados mais de 80 mil votos computados para eleger os destaques do mercado.

Segundo Gadelha, a pandemia acelerou a transição das campanhas para a comunicação digital, já que impôs um distanciamento entre eleitores e candidatos. O acesso às redes foi ampliado e as lives cresceram 70%. Para 2022, ele aposta que a principal estratégia será a análise dos dados e a consequente transformação dessas informações em propostas e conteúdos para conquistar os eleitores.

Como foi receber esse prêmio em uma disputa com os melhores profissionais do mercado digital? – Foi uma honra estar entre os profissionais de ponta do mercado e receber o reconhecimento por um trabalho de 30 anos de dedicação e amor.

Qual a importância do profissional de marketing digital para as campanhas e mandatos? – Hoje, o digital é o principal meio de comunicação do político com o eleitor. É primordial que ele saiba lidar com a forma de se relacionar, de entender os dados e transformá-los em estratégia.

Na pandemia, as pessoas tiveram que se adaptar ao digital para evitar aglomeração. Como ficou o profissional do mercado digital nesse período? – Todo profissional teve que aprender a lidar com a nova realidade. Os profissionais foram mais demandados. Devido à distância, tudo ficou através do digital. Tivemos um aumento de 70% das lives e aumento de acesso às redes sociais. Para mim, foi um momento de entender mais ainda a necessidade de quem estava precisando de uma mentoria, um conselho, para ajudar a quem tinha acesso ao digital a melhorar sua performance, e a quem não tinha, a entrar nesse mundo.

Em 2022, o que muda para o marketing político digital? – Vai ser a era do contexto, a era dos dados. O mundo digital envolve muito mais que as redes sociais. Existe o dark social, pontos de contato. Esse entendimento sobre o eleitor e a transformação de dados em estratégia é o que vai fazer a diferença em 2022.

Deixe um comentário

Rolar para cima