Entrevista / Robson Silva

BSB Capital 22/06/2022 às 9:43, Atualizado em 23/06/2022 às 11:45

Pré-candidato do PSTU ao Buriti afirma que milhares de pessoas podem ter morrido no DF na pandemia por causa desse servilismo de Ibaneis a Bolsonaro

“Meu governo será dos trabalhadores, com o povo no poder”

Diva Araújo

Pré-candidato ao Governo do Distrito Federal pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU), o professor Robson Silva afirma que, se eleito seu governo será comandado pela população trabalhadora. Em entrevista aos jornalistas Orlando Pontes e Paulo Miranda, no programa Brasília Capital Notícias, parceria da TV Comunitária com o jornal Brasília Capital e o blog do Chico Sant’Anna, ele garantiu que a gestão será exercida por Conselhos Populares.

Robson Silva defende a participação da população no processo de governança, com o envolvimento de toda a classe trabalhadora. “Somente com os trabalhadores no poder poderemos governar. Vamos chamar as entidades sindicais e. principalmente, as bases das categorias de trabalhadores e da população mais pobre, explorada e oprimida do DF. O povo, quando tem oportunidade, sabe o quer e pode mudar sua situação”.

Chapa completa

No DF, o PSTU lançará chapa completa nas eleições de outubro com um candidato para cada cargo, sem federação ou coligação. Robson Silva ressalta que, assim o partido não cria competição interna e fortalece a luta coletiva. “O PSTU tem uma política com programas muito claros, que é de libertação da classe trabalhadora e dos oprimidos.

De acordo com o pré-candidato ao Buriti, o PSTU rejeita a ideia de federação “porque ela é parte de uma política da burguesia de controlar até os partidos políticos oriundos da classe trabalhadora. A federação dura um tempo, não leva em consideração a vontade da base dos partidos e fica tudo em acordo de cúpula. E engessa a forma desses partidos atuar até mesmo numa eleição”.

Robson Silva pré-candidato ao GDF pelo PSTU

Escolas militarizadas

O pré-candidato do PSTU defende o princípio constitucional de aplicação de 10% do PIB na educação. e “Vamos fazer um plebiscito para que a população decida se quer governar com a Câmara Legislativa ou com aquilo que nós defendemos, que são os Conselhos Populares, formados em cada região do DF, com a participação da classe trabalhadora”.

Sobre a militarização das escolas públicas do DF, promovida por Ibaneis Rocha (MDB) como solução para os problemas de segurança e de disciplina nas escolas, Robson diz acreditar que nem o próprio governador considera a medida como solução.

Política de dominação

“Na minha opinião, ele está a serviço de fazer uma política de dominação, de controle social. E, infelizmente, ele está fazendo justamente nas escolas onde há maior participação de população negra e periférica, que é o público mais atendido da rede pública. É uma política extremamente equivocada, que serve apenas à política de guerra cultural que o bolsonarismo trouxe para o nosso país, copiando os Estados Unidos, como bom lacaio do imperialismo que é”.

Robson Silva promete acabar com a militarização, caso seja eleito. “Seria uma das medidas, mas um governo do qual o PSTU faça parte, não será somente meu. Será um governo socialista dos trabalhadores. Faremos um governo de classe. Vamos chamar as entidades sindicais e principalmente as bases das categorias de trabalhadores e da população mais pobre, explorada e oprimida”.

Tempo de TV e Rádio

O representante do PSTU avalia que, se as eleições fossem mesmo livres, não haveria limitação de tempo, de acesso ao rádio e à televisão, e todos os partidos teriam tempo igual para mostrar suas propostas. “Tudo é feito apenas para garantir que quem está no poder continue no poder”.

Bolsonaro e Ibaneis

“Na pandemia, um dos mais graves momentos na história recente do Brasil, Ibaneis deixou de fazer compras diretas de vacinas porque resolveu se aferrar à política do Ministério da Saúde para manter sua relação com Bolsonaro. Milhares de pessoas podem ter morrido aqui no DF por causa desse servilismo do governador.

Saúde pública

“A situação da Saúde no DF hoje é degradante. Abandonada por todos os governos, piorou com Ibaneis. Esta crise só pode ser solucionada se tiver um governo socialista dos trabalhadores, que vai trabalhar com a classe trabalhadora e com a população atendida pelo sistema de saúde”.

“Vamos fazer um novo conselho popular da saúde, com representantes de todas as categorias da área e os usuários do sistema. Assim nós vamos definir como será a política de saúde no DF, inclusive como garantir o funcionamento 24 horas do sistema, porque saúde não pode parar”.

Transporte público

O PSTU defende a estatização de todas as empresas de transporte público. Vamos revitalizar a TCB, reativar a linha de trem e expandir o metrô.

Fechamento das redes sociais do PCO

“Nenhum partido da classe trabalhadora deve ser silenciado ou ter suas redes sociais fechadas. Se fazem isso hoje com o PCO, amanhã devem fazer com qualquer partido que realmente critique o status quo do sistema capitalista. Nós entendemos que precisa ter uma empresa estatal de internet, para que a internet seja realmente livre.

Questão social

“Somente com a classe trabalhadora no poder poderemos resolver os problemas sociais. Com um governo socialista dos trabalhadores, em primeiro lugar temos que fazer concursos públicos para que tenhamos a relação adequada de servidores públicos para a população”.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima