Entrevista / João Silva

BSB Capital 05/06/2022 às 11:11, Atualizado em 06/06/2022 às 13:26

Publicitário baiano conta como surgiu o símbolo que saiu do Pelourinho e ganhou o mundo

“Marca do Olodum foi criada num guardanapo”

Osmar Marrom Martins (*)

O criador, João Silva e a sua cria: o símbolo do Olodum. Foto: Divulgação

O publicitário baiano João Silva criou a logomarca do grupo Olodum – uma das mais conhecidas no Brasil e que se tornou famosa internacionalmente – sobre um guardanapo de papel. Ele se inspirou nas cores do movimento Pan-africano (verde, amarelo, vermelho e preto) e no símbolo da paz, que já era muito difundido desde os anos 1960 com os grandes eventos musicais. Nesta entrevista ao jornalista Osmar Marrom Martins ele conta esta e muitas outras passagens de sua carreira profissional.

Foto: Divulgação

Qual a sensação quando você viu o megastar Michael Jackson exibindo sua criação para o mundo?

Eu não estava em Salvador durante as gravações, mas fiquei muito feliz e orgulhoso em ver que as várias marcas e símbolos que aparecem estampadas nas camisas dos membros da bateria naquele clipe foram algumas das marcas que criamos para o Olodum. Se olhar direitinho aquele clipe, você verá que cada uma daquelas marcas conta alguma história e momento que o Olodum viveu até chegar aqui. Lembro que o jornal do Sul me perguntou, à época, se eu achava que Michel Jackson tinha gravado o clipe por conta da música do Olodum ou da marca. E eu disse que, com certeza pela batida do Olodum, que era contagiante em qualquer parte do mundo. Mas que considerava também que o símbolo da paz tinha um alinhamento com a imagem de Michael Jackson transmitia.

Além do Olodum, você criou para outros artistas?

Sim. Eu sempre tive uma forte atuação na área cultural, talvez essa influência se dê pelo fato de meu irmão mais velho, Camelo, que era um grande baterista, me levar para algumas de suas apresentações. Quando era pré-adolescente, ele tocava no programa semanal da TV Itapoan chamado “Poder Jovem”. E inúmeros artistas que vinham à Bahia para fazer seus shows iam ensaiar lá em casa. Por lá passavam Waldir Serrão, Jerry Adriane, Wanderley Cardoso, Waldick Soriano e Armandinho, que, junto com Camelo e Carlinhos Max, criaram a banda CurtSom. Até Roberto Carlos, quando veio fazer uma apresentação aqui, pediu a ele emprestada uma bateria transparente, que foi a primeira do Brasil.  Como eu já gostava de desenhar desde aquela época, sempre que aparecia uma oportunidade, estava lá fazendo alguma coisa, um cartaz, marcas da banda na bateria, pintando mortalhas.   Já como publicitário, além do Olodum, criamos bastante para o Ilê Aiyê e várias outras entidades negras da Bahia.

Quem é João Silva?

Eu sou da Cidade Baixa de Salvador, filho de lavadeira com marceneiro. Atuei nas principais agências do mercado e ao longo desse tempo, conquistei muitos prêmios, incluindo a medalha Zumbi dos Palmares, concedida pela Câmara Municipal de Salvador por trabalhos desenvolvidos para a luta pela igualdade racial no País. Fui escolhido o Profissional do Ano em 1991, pelo Prêmio Colunistas, cheguei a ser presidente do Clube de Criação da Bahia e tenho participado como palestrante de congressos e seminários no Brasil e no exterior.

(*) osmar.martins@redebahia.com.br

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima