Eliana será vice de Arruda na disputa pelo Buriti

BSB Capital 01/07/2014 às 9:16, Atualizado em 01/07/2014 às 9:16

Após uma longa discussão partidária, a deputada Eliana Pedrosa (PPS) foi anunciada como candidata a vice-governadora na chapa de José Roberto Arruda (PR) para a disputa do Buriti. Até então candidata a governadora, Eliana desafiou a executiva nacional de seu partido e afirmou que não voltará atrás na decisão. “Durante meses, dias e noites, enfrentando …

Eliana será vice de Arruda na disputa pelo Buriti Leia mais »

01pol11f1_1000x667jp_917Após uma longa discussão partidária, a deputada Eliana Pedrosa (PPS) foi anunciada como candidata a vice-governadora na chapa de José Roberto Arruda (PR) para a disputa do Buriti. Até então candidata a governadora, Eliana desafiou a executiva nacional de seu partido e afirmou que não voltará atrás na decisão.

“Durante meses, dias e noites, enfrentando obstáculos, junto ao Gim Argello, a Liliane  e a Jaqueline Roriz, o Alberto Fraga, o governador Joaquim e dona Weslian Roriz, nós queríamos a presença da Eliana, que representará a mulher na majoritária desta chapa”, afirmou um eufórico Arruda.

Desafio interno

Para anunciar sua candidatura junto com Arruda, Eliana Pedrosa precisou enfrentar o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, que é contra a união com o ex-governador. “Foi uma decisão difícil, pois no plano nacional não encontramos guarida, mas a executiva entendeu que, mais importante do que escutar uma pessoa que é um grande líder, mas não está em Brasília, é que essa chapa é muito importante para o povo e que vamos ficar com o povo”, declarou Eliana.

Apesar do anúncio, Eliana reconhece que ainda terá que conversar com Roberto Freire para tentar convencê-lo, já que o presidente ainda pode intervir na decisão do diretório regional.

Eliana agradeceu à família Roriz, que, segundo ela, abriu mão da vice, que tinha sido anunciada para Liliane Roriz, para que a chapa fosse ampliada. “Eliana, eu abri mão de ser a vice na chapa do Arruda, porque vi seu trabalho e sei que merece tudo isso que está acontecendo”, afirmou Liliane Roriz.

Um aceno para Ceilândia

Foi escolhido o vice da chapa de Rodrigo Rollemberg (PSB). Quem subirá no palanque ao lado do senador é o servidor público Renato Santana, indicado pelo PSD. A ideia foi agregar um nome jovem – Santana tem 41 anos – e de Ceilândia, considerada estratégica pela campanha.

O martelo também foi batido em relação aos suplentes para o Senado. Foram escolhidos José Carlos Vasconcelos (PDT), para a primeira suplência, e Fadi Faraj (SDD), como segundo suplente. O deputado José Antônio Reguffe (PDT) já havia sido confirmado para o Senado.

Com 20 anos de carreira no serviço público, Renato Santana foi diretor de cultura, chefe de gabinete da Administração de Ceilândia e chegou a exercer o cargo de administrador durante o governo relâmpago de Wilson Lima, em 2010. O vice de Rollemberg já foi filiado ao PSDB e coletou assinaturas no DF para a criação do PSD em 2012.

“Fico honrado com essa indicação do meu partido. Não tenho dúvidas de que Brasília quer ver sua geração representada. Além disso Ceilândia pode ter essa função, de representar essa juventude”, disse o candidato a vice-governador.

O senador Rodrigo Rollemberg afirma que a escolha representa a renovação que a cidade quer. “Temos uma pessoa experiente como eu, com vários mandatos no currículo, e um candidato jovem como o Reguffe, referência ética”, afirmou.

Dividido, PP apoia Agnelo 

O PP decidiu apoiar a reeleição do governador Agnelo Queiroz (PT). Após indecisão, com um forte grupo tendendo  a integrar a coligação do ex-governador José Roberto Arruda (PR), ficou acertada a composição com o PT. Mesmo assim, cada candidato escolhe seu favorito para a disputa ao Senado.

Ficou acertada aliança com o PP para governador, deputado federal e deputado distrital. Apesar de coligado com 16 partidos, o PT dividirá com os progressistas a responsabilidade nas chapas proporcionais. Com isso, os candidatos do partido devem ficar divididos entre Gim Argello (PTB) e Geraldo Magela (PT).

O PP garantiu apoio ao Buriti desde o início do governo Agnelo, aí incluídos o presidente regional, deputado distrital Benedito Domingos   e o também distrital Doutor Michel. No entanto, seu vice-presidente Paulo Octávio e o deputado distrital Paulo Roriz defendiam apoio a Arruda.

Deixe um comentário

Rolar para cima