Dilma e Lula temem depoimentos de empreiteiros na Lava-Jato

bsbcapitalPor ,22/06/2015 às 7:51, Atualizado em 22/06/2015 às 7:51

O Planalto e o ex-presidente temem depoimentos dos empreiteiros presos na sexta. Um deles teria feito ameaças aos petistas   Na semana em que os presidentes das duas maiores empreiteiras do Brasil, Odebretch e Andrade Gutierrez, devem prestar depoimento à Polícia Federal, não é apenas o Palácio do Planalto que acendeu a luz de alerta. …

Dilma e Lula temem depoimentos de empreiteiros na Lava-Jato Leia mais »

20150621223328281031o
Otávio Azevedo (D), da Andrade Gutierrez, está entre os empreiteiros detidos pela PF na semana passada

O Planalto e o ex-presidente temem depoimentos dos empreiteiros presos na sexta. Um deles teria feito ameaças aos petistas

 

Na semana em que os presidentes das duas maiores empreiteiras do Brasil, Odebretch e Andrade Gutierrez, devem prestar depoimento à Polícia Federal, não é apenas o Palácio do Planalto que acendeu a luz de alerta. Caciques petistas admitem, reservadamente, o temor de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteja na mira do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos relativos ao esquema bilionário de corrupção na Petrobras. Uma ala do PT mais ligada ao ex-presidente ataca, nos bastidores, a letargia da presidente Dilma Rousseff diante do agravamento da crise política e dos danos ocasionados pela Operação Lava-Jato. Para alguns interlocutores, a presidente lavou as mãos.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também é alvo da ira de alguns petistas por não ter conseguido controlar a situação. No geral, a avaliação é de que esta semana será uma das mais difíceis para a presidente. Os executivos da Odebretch já mandaram recados ao Planalto, alertando que não aceitarão a prisão facilmente, inclusive fazendo ameaças a Dilma e a Lula. Os petistas teriam que “resolver a lambança” ou “não haverá República na segunda-feira”, teria dito Marcelo Odebrecht ao ser preso, segundo a revista Época. Marcelo, da Construtora Norberto Odebrecht, e Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez, foram para a cadeia com outras 10 pessoas na 14ª fase da Operação Lava-Jato, apelidada de Erga Omnes, que significa “uma medida vale para tudo”.

Hoje, quatro executivos — dois da Odebretch e dois da Andrade Gutierrez — vão prestar depoimento, em Curitiba, a delegados da Polícia Federal. Eles estão presos temporariamente. A prisão do grupo vence amanhã, mas pode ser prorrogada por mais cinco dias. Marcelo Odebretcht e Otávio Azevedo, além de outras seis pessoas, foram presos preventivamente e, por isso, devem ser ouvidos ao longo da semana. Os demais tiveram a prisão temporária decretada.

Leia mais:


Cooperativas que operam micro-ônibus estão à beira da falência


Empresas de estacionamento não cumprem a lei: conheça seus direitos


Deixe um comentário

Rolar para cima