DF tem cinco representantes no projeto Science Camp

bsbcapitalPor ,05/03/2013 às 9:36, Atualizado em 06/04/2022 às 15:11

Noemi Vieira, Rayanne de Souza Matos, Jaqueline Carvalho, Yzamara Alves Pereira e Graziele Silva: selecionadas pelo bom desempenho em exatas Elas estudam em escolas públicas, têm entre 16 e 18 anos e estão no ensino médio. Diferem por seus sonhos e suas histórias. Graziele de Souza Silva vem de Santa Maria e quer ser biológa; …

DF tem cinco representantes no projeto Science Camp Leia mais »

Noemi Vieira, Rayanne de Souza Matos, Jaqueline Carvalho, Yzamara Alves Pereira e Graziele Silva: selecionadas pelo bom desempenho em exatas (Ed Alves/CB/D.A Press)
Noemi Vieira, Rayanne de Souza Matos, Jaqueline Carvalho, Yzamara Alves Pereira e Graziele Silva: selecionadas pelo bom desempenho em exatas

Elas estudam em escolas públicas, têm entre 16 e 18 anos e estão no ensino médio. Diferem por seus sonhos e suas histórias. Graziele de Souza Silva vem de Santa Maria e quer ser biológa; Yzamara Skalat Alves Pereira é de Planaltina e não se decidiu entre direito e administração; Jaqueline Pereira Carvalho mora em Samambaia Norte e quer cursar biomedicina; Noemi dos Anjos Barbosa Vieira, de Taguatinga, pretende passar em medicina; enquanto Rayanne Nathália de Souza Matos é de Riacho Fundo 2 e gosta de psicologia. Apesar disso, as meninas têm algo em comum: pelo bom desempenho nas disciplinas de exatas — matemática, física, química e biologia —, elas conquistaram uma vaga no projeto Science Camp — Elas nas Ciências, da Embaixada dos Estados Unidos.

Com outras 87 alunas de diferentes estados do país, as estudantes do Distrito Federal formam o seleto grupo de um programa cujo objetivo é incentivar adolescentes do sexo feminino a optarem pela carreira científica. Para isso, elas embarcaram, na noite de ontem, para Manaus com representantes da embaixada norte-americana. Na capital do Amazonas, farão uma imersão no cotidiano de pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) — criado em 1952 para fazer o estudo científico do meio físico e das condições de vida da Região Amazônica. 


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário

Rolar para cima