DER do DF estuda reduzir limite de velocidade do Eixão para 70 km/h

bsbcapitalPor ,30/04/2015 às 16:25, Atualizado em 30/04/2015 às 16:25

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Henrique Ludovice, disse nesta quarta-feira (29) que o órgão estuda reduzir o limite de velocidade no Eixão e na Avenida das Nações de 80 km por hora para 70 km por hora. A declaração foi dada durante o anúncio da campanha “maio amarelo”, …

DER do DF estuda reduzir limite de velocidade do Eixão para 70 km/h Leia mais »

4144550_x360

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Henrique Ludovice, disse nesta quarta-feira (29) que o órgão estuda reduzir o limite de velocidade no Eixão e na Avenida das Nações de 80 km por hora para 70 km por hora. A declaração foi dada durante o anúncio da campanha “maio amarelo”, que visa criar ações para reduzir o número de mortes no trânsito.

“Estamos estudando a redução para 70 km por hora para que tenhamos ainda mais segurança neste trânsito no Distrito Federal”, afirmou Ludovice. Caso a mudança ocorra, o DER terá de trocar toda a sinalização na via e fazer campanhas para informar o motorista.

Durante o maio amarelo, 600 agentes do Detran e DER farão ações educativas com motoristas, ciclistas e pedestres. Os órgãos anunciaram que vai haver mais rigor na fiscalização, para diminuir o número de acidentes fatais.

O governo também promete intensificar a recuperação do asfalto nos pontos mais críticos e recuperar a sinalização das vias. “No mês de maio nós vamos continuar com a revitalização, uma vez que o período de chuvas já reduziu. Vamos continuar revitalizando as faixas de pedestres no intuito de dar mais segurança ao cidadão”, afirmou o diretor-geral do Detran, Jayme Amorim.

Iphan apoia

O Iphan – DF (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Distrito Federal) defende a redução da velocidade máxima permitida do Eixão de 80km/h para 60km/h como alternativa para a redução de acidentes em uma das principais avenidas de Brasília.

Além das batidas de carros, o superintendente do Instituto, Carlos Madson Reis, diz que a medida beneficia pedestres, que são vítimas frequentes de atropelamentos.

“Para esse caso, se é favorável que a primeira medida seja a redução da velocidade, conforme vários setores da sociedade defendem. Quais prejuízos a cidade teria se essa via passasse a ter velocidade máxima de 60km/h? Os estudos técnicos elaborados por vários especialistas nos mostram que quase nenhum, ao contrário, vários seriam os ganhos urbanísticos para a cidade”.

 

 

Deixe um comentário

Rolar para cima