Depoente na CPI da Saúde aponta falta de manutenção em tomógrafos

BSB Capital 24/06/2016 às 8:45, Atualizado em 09/07/2016 às 3:38

O presidente do Conselho Regional de Radiologia do Distrito Federal, Adriano Levay, disse nesta quinta-feira (23) à CPI da Saúde que falta manutenção em aparelhos radiológicos, como os tomógrafos, na rede pública da capital. Segundo ele, também há encaminhamento de pacientes para a rede privada. Levay disse que “85% dos exames que poderiam ser feitos …

Depoente na CPI da Saúde aponta falta de manutenção em tomógrafos Leia mais »

O presidente do Conselho Regional de Radiologia do DF, Adriano Levay, durante depoimento à CPI da Saúde (Foto: Rinaldo Morelli/CLDF/Divulgação)
O presidente do Conselho Regional de Radiologia do DF, Adriano Levay, durante depoimento à CPI da Saúde (Foto: Rinaldo Morelli/CLDF/Divulgação)

O presidente do Conselho Regional de Radiologia do Distrito Federal, Adriano Levay, disse nesta quinta-feira (23) à CPI da Saúde que falta manutenção em aparelhos radiológicos, como os tomógrafos, na rede pública da capital. Segundo ele, também há encaminhamento de pacientes para a rede privada.

Levay disse que “85% dos exames que poderiam ser feitos na rede pública de saúde do DF” são feitos em clínicas particulares. “Dos dez tomógrafos dos hospitais públicos, 60% estão quebrados”. Durante depoimento, ele afirmou que as máquinas de revelação em funcionamento são obsoletas.

“O resultado desse sucateamento são péssimas imagens e o comprometimento dos laudos para detecção das patologias.” O presidente do conselho também se queixou da falta de radiologistas para a emissão dos documentos. Segundo ele, os valores pagos com horas extras seriam suficientes para a contratação de técnicos e médicos especializados em radiologia.

“Ele trouxe denúncias sérias, de materiais obsoletos, sem destinação, compra sem prévia consulta, sem locais para serem colocados, ou seja, as mesmas coisas que já sabemos, nas duas gestões. Isso demonstra claramente que os problemas já vêm desde o governo passado, é o dinheiro público usado sem o menor zelo”, afirmou o preseindete da CPI, deputado Wellington Luiz (PMDB).

O distrital disse que a comissão vai apurar junto à Secretaria de Saúde e às unidades da rede a gravidade do problema. “O Adriano trouxer informações, sugeriu pontos que fossem vistoriados. Nós vamos até os locais para constatar, e há denúncias contundentes. Os responsáveis serão convocados para dar explicações.”

 


‘Portal do Voluntariado’ abre vagas para trabalho na Olimpíada no DF


Operação Lote Fácil prende 19 por golpe da casa própria


Segurança na UnB terá reforço contra ataques


Deixe um comentário

Rolar para cima