Delegado dá voz de prisão a PM após acidente em Taguatinga

bsbcapitalPor ,27/02/2018 às 16:36, Atualizado em 27/02/2018 às 18:04

Divergências no procedimento adotado causou confusão entre as duas corporações

Após confusão com um delegado da 12ª DP, em Taguatinga, um policial militar recebeu voz de prisão na madrugada desta terça-feira (27). Na versão da Polícia Civil, o militar teria se negado a levar ao hospital um motorista detido por embriaguez, que se envolvera em um acidente. De acordo com o PM, o homem se autolesionou na cela.

Segundo a ocorrência, o motorista estava com uma lesão na coxa esquerda. O delegado teria se recusado a manter o homem detido antes que ele recebesse atendimento médico. O policial militar, no entanto, afirmou que o preso se “autolesionaria no cubículo da viatura”. Depois, o civil reiterou o pedido e o militar “desrespeitosamente sorriu dando as costas”, o que lhe rendeu a voz de prisão.

Foram deslocados 11 carros da Polícia Militar – 4 da Patamo, 3 da Rotam, 1 do DOP e 3 do 17º Batalhão – com cerca de 50 militares para o estacionamento da delegacia. Ao final, uma equipe do Corpo de Bombeiros transportou o motorista para o Hospital Regional de Taguatinga.

Leia a nota da SSP na íntegra:

A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social vem a público esclarecer sobre o fato ocorrido nesta madrugada (27) envolvendo policiais militares e civis, nas dependências da 12ª DP, quando houve divergências quanto ao procedimento a ser adotado no encaminhamento de um cidadão que foi detido com sinais de embriaguez ao volante. 

Inicialmente, a SSP destaca que são registradas centenas de ocorrências todos os dias nas diversas Delegacias de Polícia e que tais procedimentos habitualmente se desenvolvem em clima de harmonia e respeito mútuo entre as forças. Apesar dos estresses inerentes à atividade policial, situação como a verificada nesta madrugada é excepcional e não representa a relação profissional que se estabelece diariamente entre as polícias. 

No episódio em tela, ao tomar conhecimento do ocorrido, esta SSP/DF passou a atuar em conjunto com os dirigentes das Polícias Militar e Civil, no sentido de distender o impasse. Os procedimentos criminais e administrativos cabíveis foram adotados e serão realizadas as apurações necessárias. Caso sejam verificados eventuais excessos, serão promovidas as devidas responsabilizações.

Deixe um comentário

Rolar para cima