CPI da Pandemia aprova quebra de sigilo telemático de ex-ministros de Bolsonaro

orlandopontesPor ,11/06/2021 às 16:48, Atualizado em 14/06/2021 às 10:18

Governadores estão momentaneamente isentos de depor, após liminar do STF

Principais alvos da bancada bolsonarista da CPI da Pandemia, os governadores estão, momentaneamente, blindados por uma liminar do Supremo Tribunal Federal. Wilson Lima, do Amazonas, falaria à Comissão na quinta-feira (10), mas não precisou comparecer devido à decisão proferida pela ministra Rosa Weber.

A decisão não é definitiva. O assunto seguirá em discussão na Corte. Para o procurador-geral da República, Augusto Aras, a lei permite que os governadores deponham à CPI desde que seja apenas para esclarecimentos sobre uso de verbas federais.

Com a ausência do governador, os senadores se dedicaram a investigar defensores da cloroquina. Os parlamentares querem saber quem financiou e quem ganhou dinheiro com a prescrição indiscriminada da droga, considerada ineficaz no combate ao coronavírus.

Os senadores da CPI aprovaram também a quebra do sigilo telemático dos ex-ministros Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), de membros do chamado “gabinete paralelo” e de várias agências de publicidade que atendem a conta do governo federal. Aguardemos os conteúdos que podem botar fogo na CPI.

Deixe um comentário

Rolar para cima