Como ficar rico sem furtar

mmPor ,13/12/2015 às 15:31, Atualizado em 13/12/2015 às 15:31

Já virou rotina no noticiário o número cada vez maior de figurões brasileiros que enriqueceram indevidamente na base da corrupção, liderados em sua maioria por conhecidos políticos, além de dirigentes de empresas construtoras, banqueiros, ex-diretores de estatais e lobistas. Esses descarados larápios do dinheiro público esqueceram que é possível alguém ficar rico com o suor …

Como ficar rico sem furtar Leia mais »

Já virou rotina no noticiário o número cada vez maior de figurões brasileiros que enriqueceram indevidamente na base da corrupção, liderados em sua maioria por conhecidos políticos, além de dirigentes de empresas construtoras, banqueiros, ex-diretores de estatais e lobistas. Esses descarados larápios do dinheiro público esqueceram que é possível alguém ficar rico com o suor do próprio rosto, sem furtar. Aqui mesmo em Brasília residem alguns cidadãos que justificam essa assertiva, a exemplo do pioneiro Hely Walter Couto, que não nasceu em berço de ouro, até muito ao contrário, e, com muito trabalho, fez fortuna pessoal e para seus familiares.

Em sua infância na cidade mineira de São Gotardo, Hely brincava na rua com os pés descalços porque não possuía sequer um par de sapatos. Aos 18 anos, migrou para Belo Horizonte a fim de cumprir o serviço militar, após o qual optou pela profissão de alfaiate, trabalhando dia e noite para juntar algum dinheiro. Jovem, com pinta de galã graças aos olhos azuis, apaixonou-se e acabou casando com Henelice Bougleux, a moça mais bonita de BH, descendente de tradicional família local, com quem comemorou Bodas de Ouro em janeiro de 2007.

Em 1958, HWC decidiu tentar a sorte em Brasília, trocando a alfaiataria por uma loja de artefatos de couro que inaugurou no barracão de madeira da então Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, à qual rotulou de Pioneira da Borracha. Desde então, por sua competência, multiplicou a empresa em várias filiais, instalando a matriz na W-3 Sul. Paralelamente, ocupou a presidência de entidades relevantes, como a Federação do Comércio (Fecomercio) e a Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF). Bacharelando-se em Direito, foi eleito e reeleito Comodoro do Iate Clube de Brasília, no período de 1975 a 1980.

Embora figure como um dos empresários mais bem-sucedidos de Brasília, Hely faz questão de ressaltar que a sua principal riqueza é a família: a esposa Helenice, três filhos e nove netos, em cuja companhia comemorou o 90º aniversário no sábado (5), em sua mansão no Park Way. Embalados pela voz de Jerry Adriani, compareceram à festa cerca de 250 convidados, entre os quais autoridades dos Três Poderes, ex-governadores do DF, altas patentes militares e representantes da high society de Brasília, que lhe prestaram carinhosa homenagem, ao vivo.

Honra ao mérito!

 


Queridos pais separados…


A inesquecível festa de meu 90º Aniversário


“Joga bosta na Geni!”


 

Deixe um comentário

Rolar para cima