Com risco de perder movimento do braço, violinista não tem previsão de cirurgia no HBDF

BSB Capital 08/02/2022 às 12:22, Atualizado em 09/02/2022 às 10:22

Segundo o Iges-DF, Alberto Gambirasio tem prioridade baixa na fila. Músico criou uma ‘vaquinha’ para tentar adiantar o procedimento

Fonte: Perfil pessoal de rede social.

O músico Alberto Gambirasio Filho, de 52 anos, internado no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) aguarda por cirurgia no ombro esquerdo, mas a unidade hospitalar não tem previsão para realização do procedimento. 

Gambirasio sofreu um acidente em novembro, rompeu os ligamentos do braço e fraturou a fíbula e a tíbia. À época, ele teve a perna engessada e voltou para casa, mesmo com dores no braço. Somente no final de janeiro uma ressonância revelou a lesão no ombro esquerdo. Ele está internado no HB desde 1º de fevereiro a cirurgia.

O paciente toca instrumentos profissionalmente e tem uma escolinha de música, onde precisou se reinventar durante a pandemia para adaptar aulas via internet. Ele dá aulas de violão, guitarra, cavaquinho e contrabaixo. “Tenho medo de ficar cada vez mais difícil consertar meu braço e isso inviabilizar meu trabalho”, afirma.

Baixo risco

“Quanto mais tempo passa, mais fica difícil recuperar o seu braço e você vai perder os movimentos do braço”, teria dito o médico que o atendeu. Mas a avaliação do quadro dele, segundo o Instituto de Gestão Estratégica da Saúde (IGESDF), é que “há baixo risco de perda de movimento”. Segundo o IGES, por se tratar de um caso de baixa prioridade, não há previsão de atendimento, mas o paciente está sendo assistido por equipes médicas e de enfermagem.

Vaquinha

Para tentar agilizar o procedimento num hospital particular, Gambirasio criou uma vaquinha virtual com o objetivo de arrecadar R$ 40 mil. Até às 11h desta terça-feira (8), a arrecadação alcançava R$ 21 mil. Quem quiser contribuir basta acessar: Clique aqui

Nota do IGESDF

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (IGESDF) informa que o paciente A.G.F., internado com uma fratura no ombro, já realizou todos os exames necessários e foi avaliado por um cirurgião especialista em ombro no Hospital de Base (HB). O paciente se acidentou em 18/1, mas só foi internado dia 1º/2. Embora o hospital disponha de recursos humanos e insumos necessários para realização da cirurgia, é importante ressaltar que os procedimentos cirúrgicos são realizados de acordo com critérios de classificação, de modo que os mais graves são operados primeiro. Informamos ainda que o paciente está sendo devidamente assistido e acompanhado por equipes médicas e de enfermagem”.

Leia mais em BrasíliaCapital.com.br

Deixe um comentário

Rolar para cima