Ciclistas pedem respeito no trânsito em protesto no Parque da Cidade

bsbcapitalPor ,23/04/2015 às 14:11, Atualizado em 23/04/2015 às 14:11

Cerca de 400 ciclistas deram duas voltas no Parque da Cidade na manhã desta quinta-feira (23/4) em protesto contra a violência no trânsito e para pedir mais respeito para quem usa a bicicleta. A concentração aconteceu às 7h, no Estacionamento 10. A Polícia Militar e o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estavam no local …

Ciclistas pedem respeito no trânsito em protesto no Parque da Cidade Leia mais »

20150423090606710633i

Cerca de 400 ciclistas deram duas voltas no Parque da Cidade na manhã desta quinta-feira (23/4) em protesto contra a violência no trânsito e para pedir mais respeito para quem usa a bicicleta. A concentração aconteceu às 7h, no Estacionamento 10. A Polícia Militar e o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estavam no local para fazer a segurança do ato.
Uma faixa da direita no sentido horário do Parque da Cidade foi fechada para que os ciclistas pudessem trafegar. Representantes da ONG Rodas da Paz participaram do protesto. Segundo a secretária institucional da entidade, Renata Florentino, a ideia da mobilização é deixar uma mensagem para todas as pessoas que usam as vias.
“O trânsito compartilhado é possível. Muita gente acha que a bicicleta não deve circular nas vias, mas ela tem esse direito assegurado pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, argumentou Renata.

Violência

Na quarta-feira passada, a servidora pública Juliana Larano Ribeiro, 36 anos, tornou-se vítima do ódio gratuito. Segundo relato de testemunhas, o médico Rogério Gonçalves de Vasconcelos, 37 anos, invadiu a pista onde era realizado um passeio ciclístico no Parque da Cidade e, em seguida, causou um acidente envolvendo a moça.
A ciclista teve que colocar oito pinos e duas placas de titânio para reconstruir os ossos da mandíbula, além de tomar cinco remédios para auxiliar na recuperação. Agora, serão pelo menos dois meses para tratar do trauma no queixo.

Deixe um comentário

Rolar para cima