Calçadas do Lago Veredinha serão recuperadas

mmPor ,14/07/2021 às 9:20, Atualizado em 13/07/2021 às 23:20

Governador em exercício, Paco Britto, anuncia o início do processo de tombamento do local como patrimônio cultural

A visita do governador interino, Paco Britto, atendeu a pedido de moradores preocupados com a obra de recuperação do calçamento, construído na década de 1990 | Fotos: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal vai atender a demanda da população e manter as pedras portuguesas no calçamento que contorna o Lago Veredinhas. O anúncio foi feito nesta terça-feira (13) pelo governador em exercício, Paco Britto, que esteve no final da tarde desta terça-feira (13) em Brazlândia.

A visita à cidade, em companhia do secretário de Cultura, Bartolomeu Rodrigues, atendeu a um pedido de moradores e comerciantes que se preocuparam com a obra de recuperação da Orla do Lago Veredinha, executada pela administração regional.

“Por determinação do governador Ibaneis Rocha, já foi providenciado o documento para o órgão que vai analisar o tombamento de toda a calçada”Paco Britto, governador em exercício

Para alguns moradores, é fundamental a preservação das pedras originais do calçamento construído na década de 1990, cujo projeto é de autoria do artista plástico Francisco Galeno. Desde a inauguração, a calçada portuguesa nunca havia passado por um processo de manutenção. A gestão atual teve a iniciativa para dar mais mobilidade e segurança ao caminho.

Acompanhado ainda do administrador de Brazlândia, Jesiel Costa Rosa, o governador em exercício falou com João Galeno, filho do artista plástico, que estava no local. “Por determinação do governador Ibaneis Rocha, já foi providenciado o documento para o órgão que vai analisar o tombamento de toda a calçada”, anunciou, referindo-se ao processo de reconhecimento público de patrimônio cultural da cidade.

Representando os comerciantes locais, João Marques, 50 anos, é comerciante há 20 anos na região. Assim como João Galeno, ele compareceu e saiu do local satisfeito com o posicionamento dos gestores. “O governo [Ibaneis Rocha] está trabalhando, ao contrário de outros. Veio aqui para resolver o problema”, finalizou.

Paco Britto falou com João Galeno, filho do artista plástico, e adiantou que já foi providenciado o documento para o órgão que vai analisar o processo de reconhecimento público da calçada como patrimônio cultural da cidade

Origem das pedras

As pedras portuguesas utilizadas nas calçadas foram um presente do artista piauiense, que passou grande parte de sua vida em Brasília e teve obras expostas no exterior, em países como os Estados Unidos e Suíça.

Nascido em Brazlândia, há 31 anos, João Galeno, ficou satisfeito com a iniciativa do governador Paco e do secretário. Fez questão de frisar que levará “essa atitude positiva” ao seu pai, o artista Francisco Galeno. “É um processo inicial. Tem que ter um começo, pois não é uma questão de apenas estalar os dedos”, constatou.

Tombamento entra em pauta

O secretário afirmou ainda que nem todas pedras portuguesas serão recuperadas e que o calçadão será totalmente reconstruído, uma vez que há rachaduras e desnivelamentos, que poderiam causar acidentes aos transeuntes. “A recuperação estava relegada a segundo plano”, observou.

Seguindo os trâmites, o processo de tombamento será apresentado como pauta na próxima reunião do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural do Distrito Federal (Condepac), em 21 de julho, para apreciação dos conselheiros e posterior processo de tombamento das calçadas da Orla do Lago Veredinha.

Deixe um comentário

Rolar para cima