Bread, o vira-latas de sorte

mmPor ,15/03/2015 às 9:58, Atualizado em 15/03/2015 às 9:58

O nome recente é sofisticado: Bread (pão, em inglês). Mas o dito cujo não passava de um reles vira-latas anônimo, que mudou de status desde o dia em que apareceu na chácara do seu Júlio César, sendo então adotado por sua esposa Bete, que passou a tratar o recém-chegado com o maior amor materno, batizando-o com o referido rótulo de cachorrinho …

Bread, o vira-latas de sorte Leia mais »

celebridade-vira-lata-fredericoO nome recente é sofisticado: Bread (pão, em inglês). Mas o dito cujo não passava de um reles vira-latas anônimo, que mudou de status desde o dia em que apareceu na chácara do seu Júlio César, sendo então adotado por sua esposa Bete, que passou a tratar o recém-chegado com o maior amor materno, batizando-o com o referido rótulo de cachorrinho de raça.

Com a desculpa de que a carne é fraca, também para os animais irracionais, eis que o felizardo resolveu atacar amorosamente uma linda cadela da vizinhança. Porém se deu mal, porque errou o alvo e acabou se chocando com o arame farpado da cerca, ferindo o peito, felizmente longe do piruzinho frustrado. Arisco e com certeza por pudor, ele conseguiu fugir de dona Bete, que não pôde interná-lo numa clínica veterinária.

Provavelmente por interferência de São Roque (o protetor dos cachorros), o envergonhado Bread não escapou das mãos de três moças iluminadas que frequentam a chácara do tio Júlio, como o chamam carinhosamente: Fernanda, Naiara e Akíria.

Inicialmente, elas decidiram procurar uma ONG protetora de animais (?), que ignorou o problema. Foi aí que Akíria lembrou que conhecia Ana Cláudia, que era amiga de outra jovem chamada Ana Paula, que se dedica a proteger vira-latas, aos quais cuidados foi entregue Bread. Sua primeira ação foi providenciar a urgente cirurgia, retirando da ferida do animalzinho um punhado de vermes escuros, salvando-o de inevitável morte por infecção.

Ciente do fato, descobri o celular de Ana Paula, com a intenção de entrevistá-la para amortizar as manchetes sensacionalistas dos jornais tradicionais, que dão prioridade aos fatos negativos. Ela atendeu, mas se recusou gentilmente a falar sobre os seus atos de anjo da guarda de vira-latas abandonados, na certa por modéstia cristã.

Mas como esse nobre sentimento não se inclui na profissão de repórter, descobri por linhas transversais que essa desconhecida altruísta já salvou a vida de nada menos de 110 cachorrinhos, em apenas três anos de divinas dádivas. E sabem quanto ela cobra por esse difícil trabalho? Zero centavo!

Na ausência de dona Bete, que se encontra viajando, Bread está  hospedado na residência de Valeska e Elkinson, recebendo os afagos de Pedrinho, o filho do casal.

Como se vê, Brasília tem algo melhor do que mensalões e petrolões.

Deixe um comentário

Rolar para cima