Arthur Lira defende reforma administrativa

bsbcapitalPor ,25/05/2021 às 12:01, Atualizado em 25/05/2021 às 12:01

Segundo o presidente da Câmara, é preciso aferir se o serviço público está adequado em relação àquilo que o povo paga de impostos

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), destacou os avanços nas aprovações de propostas da pauta econômica em 2021. “Nunca tivemos um alinhamento de astros tão perfeito com um governo liberal e um Congresso reformador”, comemorou. Ele defendeu aproveitar o momento para aprovar as reformas econômicas do País.

As declarações foram feitas durante evento promovido pelo Banco BTG Pactual nesta terça-feira (25).

Lira elencou alguns projetos aprovados em 2021, como a independência do Banco Central; o Orçamento com a previsão de novo auxílio emergencial; os mecanismos permanentes de “shut down”, ou gatilhos fiscais, para facilitar a gestão de crises econômicas por parte dos entes federados; o novo marco do licenciamento ambiental e a aprovação da MP que autorizou a desestatização da Eletrobras.

Para Arthur Lira, o País não pode perder o ano de 2021 e não votar as reformas econômicas. “Seria lamentável que percamos essa janela de 2021 e açodando uma janela de 2022, não é possível que vamos perder esse ano. Não podemos perder tempo de votar projetos estruturantes para que na saída tenhamos um novo horizonte”, disse o presidente.

Reforma administrativa
Lira ressaltou a importância da votação da reforma administrativa. Segundo ele, trata-se de uma modernização no serviço público que vai garantir mais eficiência para a população.

Arthur Lira voltou a destacar que a proposta não vai atingir os atuais funcionários públicos. Para ele, é preciso aferir se o serviço público está adequado em relação àquilo que o povo paga de impostos. “Se todos nós tivéssemos feito [a reforma administrativa] há 20 anos, hoje já estaríamos estabilizados”, ponderou.

“Aprovar reformas é mais difícil, mas precisamos da união de todos, da determinação dos deputados e senadores para formular as propostas com possibilidade de aprovação”, destacou o presidente.

A proposta está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, onde já recebeu parecer pela aprovação.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe um comentário

Rolar para cima