Alunos estão assustados com a presença de traficantes próximo a escola

bsbcapitalPor ,01/03/2013 às 9:15, Atualizado em 01/03/2013 às 9:15

 São 7h, horário de entrada dos pré-adolescentes no colégio. Entre tapumes de uma obra em um prédio residencial e as grades do Centro de Ensino Fundamental nº 3 da 103 Sul, mora um usuário de drogas. Ao redor da cama improvisada com papelão e um travesseiro, há marmitas com restos de comida, além de muita …

Alunos estão assustados com a presença de traficantes próximo a escola Leia mais »

 São 7h, horário de entrada dos pré-adolescentes no colégio. Entre tapumes de uma obra em um prédio residencial e as grades do Centro de Ensino Fundamental nº 3 da 103 Sul, mora um usuário de drogas. Ao redor da cama improvisada com papelão e um travesseiro, há marmitas com restos de comida, além de muita sujeira. Várias latinhas de alumínio furadas e queimadas assinalam a presença do crack. “Ele fica alucinado e não sabemos qual pode ser a reação”, explicou uma jovem de 14 anos, integrante de um grupo de seis meninas da 7ª série, moradoras de Ceilândia e de Taguatinga.
Fonte: correiobraziliense.com.br
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário

Rolar para cima