Alta do dólar e euro diminui número de voos internacionais saindo do DF

bsbcapitalPor ,17/05/2016 às 5:44, Atualizado em 09/07/2016 às 3:56

Por causa da alta do dólar e do euro, as companhias aéreas diminuíram o número de voos internacionais partindo de Brasília para evitar que o faturamento caia ainda mais. A justificativa das empresas é de que o número de passageiros diminuiu e que essas rotas não davam mais lucro. Entre janeiro e este mês, o …

Alta do dólar e euro diminui número de voos internacionais saindo do DF Leia mais »

Por causa da alta do dólar e do euro, as companhias aéreas diminuíram o número de voos internacionais partindo de Brasília para evitar que o faturamento caia ainda mais. A justificativa das empresas é de que o número de passageiros diminuiu e que essas rotas não davam mais lucro.

Entre janeiro e este mês, o número de voos com destinos internacionais passou de oito para seis. A Delta Airlines deixou de oferecer voos para Atlanta, nos Estados Unidos, e a Aerolíneas Argentinas cancelou trechos para Buenos Aires em fevereiro.

A mudança afeta viajantes que compraram passagens com antecedência. No ano passado, a professora Mariângela Prudente adquiriu uma viagem para Las Vegas. Em vez do voo que pegaria em junho saindo do aeroporto Juscelino Kubitschek, ela vai ter de esperar 12 horas por um avião em São Paulo.

“Deixa a gente agoniado. Meu voo é 29 de junho ainda e eu estou preocupadíssima com isso porque não tem opção”, afirmou. “É ficar sentado 12 horas sem ter o que fazer. Acho um descuido com a gente.”

A perspectiva é que se cancele mais ainda. Mesmo com tarifas muito atraentes e competitivas, muito baixas, não sentimos uma reação do cliente para realizar a viagem”
Carlos Vieira, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem

Dados da Associação Brasileira de Agências de Viagens mostram que empresas que oferecem voos internacionais tiveram uma queda no faturamento de 0,7% em março em comparação com o mesmo mês do ano passado. A queda chega após 24 meses seguidos de crescimento.

Segundo o presidente da entidade, Carlos Vieira, não há previsão de melhora a curto prazo. “A perspectiva é que se cancele mais ainda. Mesmo com tarifas muito atraentes e competitivas, muito baixas, não sentimos uma reação do cliente para realizar a viagem”, estimou.

Já o economista Roberto Piscitelli acredita que o setor vai retomar o fôlego. “A gente tem que levar em conta a queda do real em relação ao dólar, da desvalorização cambial. Mesmo assim, mesmo as passagens ficando relativamente mais cara para nós, isso não deve afetar propriamente o mercado de voos internacionais.”

Passageiros em ponte de embarque no Aeroporto JK, em Brasília (Foto: Inframerica/Divulgação)
Passageiros em ponte de embarque no Aeroporto JK, em Brasília (Foto: Inframerica/Divulgação)

 

Aeroporto JK
Em 2015, o terminal foi o segundo mais movimentado do país pelo segundo ano consecutivo. O aeroporto de Brasília perde só para o de Guarulhos. Além dos seis destinos no exterior, tem acesso a 50 cidades brasileiras. A média é de 509 voos por dia.

O aeroporto do DF recebeu 19,8 milhões de passageiros em 2015 – número 9% maior do que os 18,14 milhões de usuários do ano anterior. Foram 186.377 pousos e decolagem durante o período, segundo a Inframerica, o consórcio que administra o terminal.

 


Governo autoriza entrada de produtos de origem animal trazidos do exterior


Tiradentes leva à descoberta das origens, cultura e gastronomia brasileira


A beleza das estações de trem e metrô em várias cidades do mundo


Deixe um comentário

Rolar para cima