A influência do inconsciente em nossa vida

bsbcapitalPor ,05/05/2016 às 16:22, Atualizado em 09/07/2016 às 3:54

Fernanda Sampaio (*)   O inconsciente é tudo aquilo que habita no obscuro de nós mesmos, o que desconhecemos ou ignoramos. Por isso, é comum acontecer de não darmos a devida importância para a sua influência em nossa vida. Sendo que é ele que nos guia em muitos dos nossos comportamentos e explica a maioria …

A influência do inconsciente em nossa vida Leia mais »

Fernanda Sampaio (*)

 

O inconsciente é tudo aquilo que habita no obscuro de nós mesmos, o que desconhecemos ou ignoramos. Por isso, é comum acontecer de não darmos a devida importância para a sua influência em nossa vida. Sendo que é ele que nos guia em muitos dos nossos comportamentos e explica a maioria das nossas dificuldades.

Sigmund Freud, médico austríaco criador da Psicanálise, com seus estudos deixou para a Psicologia a grande contribuição da relevância do inconsciente para o autoconhecimento e resolução de conflitos emergentes. Com seus métodos de associação livre e interpretação dos sonhos, conseguia conhecer, analisar e dar sentido àquilo que não era visível, mas que nem por isso deixava de estar ali. E ali também se encontrava a chave para muitas perguntas sem resposta.

Hoje existem muitas abordagens psicoterapêuticas que se diferenciam da proposta da Psicanálise. Porém, muitos de nós profissionais que trabalhamos com outras abordagens não podemos negar a existência do inconsciente e tudo que ele representa. Visto que muitos pacientes não conseguem encontrar a resposta para muitos dos seus problemas e emoções mal resolvidas, só com a consciência que trazem das suas vidas. Muitas respostas se encontram em sentimentos, sensações e lembranças que não entendemos ou não conseguimos alcançar de maneira racional e mental.

Para entender o inconsciente é importante buscarmos um método de observação profunda. Desvendar o inconsciente é conhecer um mundo grande, novo e que só há uma forma de acessá-lo: aos poucos. É um nível de autoconhecimento mais profundo em que não se valoriza o que se vê, mas o que se sente. Só assim poderemos entender e dar vazão ao nosso inconsciente.

Consciente é o que se chama de ponta do iceberg. Inconsciente é aquilo que está no fundo do mar. Não temos a noção do tamanho e de sua influência. É preciso entender que nunca deixaremos todo o material inconsciente num nível de consciência, porque isso pode até levar à loucura. O importante é acessar aquilo que hoje é fundamental para o nosso crescimento e desenvolvimento psíquico.

Nosso desafio é tornar cada vez mais conscientes conteúdos inconscientes. Dessa maneira, conseguiremos enxergar a nós mesmos, a nossa vida, as nossas dificuldades e as soluções para elas de maneira muito mais clara. Assim, teremos uma ação mais lúcida e uma vida melhor.

 

 (*) Psicóloga, Psicodramatista, Terapeuta Sexual, Palestrante, Especialista em  Brainspotting e EMDR.


Para ter um lugar no mundo é preciso honra e gratidão


Pânico: a grande explosão!


Deixa a vida fluir


 

Deixe um comentário

Rolar para cima