A ignorância que leva ao sofrimento

mmPor ,30/03/2015 às 10:23, Atualizado em 30/03/2015 às 10:23

Pai João, um sábio dos tempos da escravidão, comenta sobre o sofrimento e a ignorância dos pobres humanos. Segundo ele “a Terra é uma escola de aperfeiçoamento de almas com alunos repetentes e carentes de lições mais intensas. Nada é para sempre. Nem a dor, nem o prazer. Devemos fazer de tudo para suavizar nossas …

A ignorância que leva ao sofrimento Leia mais »

Pai João, um sábio dos tempos da escravidão, comenta sobre o sofrimento e a ignorância dos pobres humanos. Segundo ele “a Terra é uma escola de aperfeiçoamento de almas com alunos repetentes e carentes de lições mais intensas. Nada é para sempre. Nem a dor, nem o prazer. Devemos fazer de tudo para suavizar nossas dores e descobrir o sentido oculto em tudo o que ocorre em nossas vidas. Ignoramos nosso próprio passado espiritual e habitualmente não reconhecemos nossa necessidade de reeducação em tempo integral.

“A visão deturpada da vida e do gerenciamento do mundo moral faz com que diversos filhos sofram muito mais do que deveriam, pois se acostumaram a uma maneira pessimista de ver as coisas – ou melhor, desprovida de conteúdo espiritual. É preciso ver, além de enxergar. Há dignidade em enfrentar os desafios da vida. Ao contemplar a necessidade educativa dos filhos da Terra, podemos ter a certeza de que todo drama é passageiro.

“Não há como fugir ao enfrentamento dos momentos difíceis. Contudo, se vivenciá-los é inexorável, padecê-los não é, pois há como tornar tudo mais suave e desenvolver habilidades e condições que tornem os momentos graves menos dolorosos, fortalecendo-nos para não sofrer tanto. Não morra antes da morte chegar, como têm feito alguns filhos que se aprisionaram a um modo de vida totalmente egoísta, de tal forma escravizados por sua visão das circunstâncias que interpretam sua situação como um purgatório pessoal.

“Pessoas há que, apesar de todos os desafios da existência, das dores e das dificuldades enfrentadas, não se entregam de forma alguma às lágrimas e lamentações. E agindo desse modo tornam-se vencedoras”.

Deixe um comentário

Rolar para cima