Deixa a vida fluir

BSB Capital06/04/2016 às 5:48, Atualizado em 09/07/2016 às 3:54

Fernanda Sampaio (*)   Na nossa vida existem dois aspectos: aqueles que podemos e devemos mudar, e aqueles sobre os quais não temos controle e que nos resta aprender a aceitar. Por trás de tudo isso, há o elemento tempo, que atravessa a história e é capaz de transformar tudo ao nosso redor, mesmo as …

Deixa a vida fluir Leia mais »

Fernanda Sampaio (*)

 

Na nossa vida existem dois aspectos: aqueles que podemos e devemos mudar, e aqueles sobre os quais não temos controle e que nos resta aprender a aceitar. Por trás de tudo isso, há o elemento tempo, que atravessa a história e é capaz de transformar tudo ao nosso redor, mesmo as coisas que consideramos imutáveis.

Em minha opinião, ser dono do próprio destino significa direcionar a água da sua vida para o rumo que você quer que ela vá. Ou seja: o quanto é importante você saber qual o propósito da sua vida, quais as coisas que você almeja alcançar e conquistar. Sabendo disso, poderá voltar todas as suas ações, pensamentos e emoções em direção a esse propósito.

A parte que muitos de nós consideramos a mais difícil é respeitar que tudo é um processo e que todo processo demanda tempo. Temos que ter a consciência de que estamos no caminho que dá o sentido para o nosso crescimento mental e emocional. Mas precisamos respeitar o tempo que esse processo leva.

Depois que a água do rio foi direcionada ao seu destino, o destino atua por si só. Coisas novas aparecem no caminho e devemos estar aptos a depreender os ensinamentos que elas nos proporcionam. Deixar a vida nos surpreender. Entender que quando fazemos a nossa parte, todo o resto que aparece é o necessário para o nosso crescimento.

A lei da ação e reação diz que somos responsáveis por tudo aquilo que recebemos. De fato somos. Mas se estamos com nossa consciência em paz e estamos caminhando gradualmente para sermos melhores amanhã, precisamos ter paciência conosco e com o resultado da vida. Entender que para cada indivíduo existe um tempo diferenciado, um aprendizado diferenciado. Se comparar, é se perder do seu próprio caminho de aprendizagem.

Um dos nossos maiores desafios é aprendermos a deixar fluir o ritmo da vida. Isso é o que se chama de destino.

 

(*) Psicóloga, Psicodramatista, Terapeuta Sexual, Especialista em Brainspotting e EMDR


Cabeça do Dragão: a busca pelo sentido da vida


Amor aos ancestrais


Desapegar para recomeçar


 

Deixe um comentário

Rolar para cima