Amor também se aprende

mmPor ,28/02/2016 às 16:25, Atualizado em 09/07/2016 às 3:37

Nada causa mais sofrimento aos seres humanos do que as chamadas “relações amorosas”. A atrasadíssima humanidade da terra chama de amor o comércio descartável de emoções e sensações entre as pessoas. Mas amor não causa sofrimento. Amor é o bem do outro quando não se pensa em retribuição. Um Mestre intergalático assim se expressou por …

Amor também se aprende Leia mais »

Nada causa mais sofrimento aos seres humanos do que as chamadas “relações amorosas”. A atrasadíssima humanidade da terra chama de amor o comércio descartável de emoções e sensações entre as pessoas.

Mas amor não causa sofrimento. Amor é o bem do outro quando não se pensa em retribuição. Um Mestre intergalático assim se expressou por intermédio do médium Roger Bottini: “eu nunca vi uma humanidade como esta da terra. O Mestre de vocês (Jesus) envia os maiores missionários para educá-los, mas os ídolos de vocês são atores de novelas, jogadores de futebol, cantores  sertanejos, etc. Parece que vocês gostam mesmo é de sofrer”.

Sim, o Mestre está certo. No meio de um pálido sentimento de amor inclui-se apego, posse, expectativas, intolerância e caprichos de todos os tipos. São essas coisas que causam sofrimento e não o amor em si. É preciso passar da sensação para a emoção, e desta para o amor.

“Só há amor na relação quando o casal se eleva por meio dele. Caso contrário, é algo feio e desprezível”, ensinou o Mestre Osho. Jesus, Buda, Lao-Tsé, Confúcio, Francisco de Assis, Francisco Cândido Xavier, etc. foram Mestres que vieram para nos ensinar a amar.

“O mundo nunca teve falta de Mestres; o mundo sempre teve falta de discípulos. Chame 1.000, 100 escutarão, 10 caminharão e apenas 1 chegará”, ensinaram os Mestres do Oriente.

Viemos à Terra para cumprir uma série de tarefas e fazer um aprendizado, principalmente em amor e sabedoria, como ensinou Emmanuel, o Mestre de Chico Xavier e de todos os que lerem seus livros.

A prática do bem, desde os mais simples gestos, como a oferta de um copo d’agua, eleva o ser que beneficiará automaticamente o casal. Amor também se aprende e se aprende observando, refletindo e praticando. A terra é a nossa escola de vida e cada um é professor e aluno um do outro.

 


Joaquim Nabuco e o novo Brasil


Dom Hélder Câmara do Além


A psicologia dos “coitadinhos”


Deixe um comentário

Rolar para cima